A Voz da Arte

A Pinacoteca de São Paulo aponta que 72% dos brasileiros nunca foram a um museu. Parte do público se sente distante desse tipo de instituição por entender que o ambiente não dialoga com eles. Diante disso, como promover uma maior interação entre o museu e a população? Esse desafio orientou a criação do projeto A Voz da Arte, uma parceria entre a Pinacoteca e a IBM, que colocou seu sistema de inteligência artificial, o Watson, para desenvolver uma experiência que pudesse conversar com as pessoas. A iniciativa teve ainda a participação da Ogilvy.

A partir desta quarta-feira, 5, a Pinacoteca abre o projeto ao público, que consiste em oferecer um dispositivo com o aplicativo A Voz da Arte. Os visitantes receberão notificações ao se aproximarem de uma obra interativa e poderão fazer quaisquer perguntas que desejarem a respeito do trabalho exposto. O Watson responderá a essas questões, mesmo que sejam inusitadas como saber se O Mestiço, quadro de Cândido Portinari, gostava de jogar futebol. O sistema da IBM “fala” com o visitante, mas também oferece a alternativa escrita para quem tem deficiência auditiva.

Curadores e educadores da Pinacoteca selecionaram obras do acervo para fazer parte desse projeto. Eles ensinaram ao sistema de inteligência artificial dados sobre os autores, o contexto histórico das peças e sua possível relação com o cotidiano, entre outros temas. Foram seis meses de aprendizado. Para isso, foram coletadas milhares de perguntas e dúvidas que os visitantes do museu possuíam sobre as obras. A equipe da IBM utilizou APIs de entendimento de linguagem natural e sistema de voz disponíveis no IBM Bluemix em conjunto com as capacidades cognitivas do Watson.

Em um vídeo que detalha o projeto (veja mais abaixo), Fabrício Barth, líder técnico do Watson Group Latin America, observa que muitos museus hoje disponibilizam rádios que explicam a obra, mas esses equipamentos não interagem com o público. Com o Watson, salienta ele, a proposta é que os visitantes possam literalmente conversar com as obras. E perguntando do jeito que a pessoa quiser, sem receio da dúvida que tem. Quem quiser passar pela experiência com o Watson tem até o dia 5 de junho para conhecer mais sobre as obras. As visitas podem ser feitas de quarta a segunda, entre 10h e 17h.

Fonte: Clube de Criação