Iniciativa público-privada transforma mobilidade com uso de TI

Quem nunca passou pelo menos duas horas preso no trânsito? Provavelmente todos os habitantes das grandes cidades de mundo vão responder que sim para essa questão, uma vez que a mobilidade é uma problemática mundial, e o Brasil não é exceção. Para ter um panorama mais claro, só em São Paulo, os moradores consomem em média duas horas e 43 minutos para deslocar-se para suas atividades, conforme apontou a Pesquisa de Mobilidade Urbana na Cidade do Ibope.

Nesse cenário, surgiu o desafio InoveMob, concurso nacional de inovação em mobilidade realizado pelo WRI em parceria com a Toyota Mobility Foundation e com o apoio da Frente Nacional de Prefeitos. O InoveMob recebeu aproximadamente 90 equipes, escolhendo 12 finalistas, mas após algumas atividades de treinamento e passar etapas de construção dos projetos, o grupo foi reduzido para cinco finalistas que apresentaram suas iniciativas e contaram suas experiências durante as diferentes etapas do desafio.

Os critérios de avaliação das propostas estavam estreitamente relacionados à viabilidade e aplicabilidade nas diferentes cidades do Brasil – algumas provas piloto foram realizadas no Belo Horizonte, São Paulo, Fortaleza e Brasília. As cinco propostas finalistas focaram-se na otimização da qualidade de vida dos moradores das cidades e n redução do impacto ambiental atual. Confira abaixo as cinco finalistas.

Bikxi

A empresa é o primeiro transporte compartilhado para profissionais que utiliza bicicletas duplas e elétricas. Para pedir bicicleta, basta usar um aplicativo. A ideia nasceu pensando em três objetivos: reduzir o uso de veículos, aumentar a segurança e confiança na bicicleta como meio de transporte alternativo e manter uma ótima apresentação pessoal no momento de chegar no escritório.

Em um ano de operações, a empresa já fez 25 mil viagens, reduziu a produção de 13 toneladas de CO2 e já conta com 14 mil usuários cadastrados.

Bynd

Aplicativo de caronas para que pessoas e organizações possam otimizar seus deslocamentos e reduzir os gastos com transporte. A Bynd nasceu para reduzir o impacto ambiental dos carros e a improdutividade por conta do tempo no trânsito e garantir confiança e segurança nas caronas. O aplicativo entende a rotina do usuário, customizando seus “matches” conforme o lugar de partida, o destino final e as melhores rotas.

A Bynd visa melhorar a experiência do usuário, promover a cultura da carona, contribuir para um país mais sustentável e ajudar as empresas a economizar nas dispensas relacionadas a transporte

Carona a pé

Uma organização de mobilidade e educação que deseja despertar adultos e crianças para a importância de andar a pé e construir uma nova relação com a cidade onde vivem. O Carona a Pé surgiu em junho de 2015, inspirado em outros programas similares que acontecem ao redor do mundo.

Uma criança andando pela rua é indicador de um ambiente saudável, pelo menos é o que acredita a equipe da Carona a Pé. Além de facilitar a mobilidades das crianças, a iniciativa visa facilitar a interação entre as comunidades escolares, ajudar a melhorar as condições das ruas, reduzir o sedentarismo e otimizar o relacionamento entre os pais e as crianças.

Nina

Funcionalidade acoplada a aplicativos para rastrear casos de assédio na mobilidade urbana. A ideia nasceu a partir da experiência pessoal da mãe da Simony César Ramos de Moura, fundadora da Nina, já que conforme cifras levantadas pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública 8 milhões de mulheres são assediadas no transporte público no Brasil, porém, só 10% das vitimas denunciam.

A iniciativa objetiva combater o assédio no transporte tanto na frente preventiva como emergencial no País inteiro, especialmente nas grandes cidades, trabalhando em parceria com as Delegacias e os Sindicatos de transporte.

Onboard

Certamente, a falta de integração entre bilhetes de pagamento em São Paulo é uma dor de cabeça para os moradores da cidade de São Paulo, mas será que é possível integrá-los? A Onboard responde a essa demanda ao ser um meio de pagamento capaz de tornar simples e inteligente a experiência da mobilidade urbana, por meio do uso de soluções de inteligência artificial (IA) e mensagens instantâneas.

A Onboard pretende reduzir o tempo de recarga do bilhete a um minuto com 15 segundos, já que hoje dependendo da disponibilidade dos equipamentos pode ser um processo que consome por volta de cinco minutos.

Fonte: IT FORUM 365