SAP anuncia primeira reestruturação desde 2015

Empresa amplia foco em cloud e espera aumentar número de funcionários

SAP está embarcando em uma importante reestruturação de negócios, visando triplicar suas receitas de nuvem até 2023, a partir dos US$ 5,7 bilhões alcançados em 2018.

Embora a reestruturação seja muitas vezes um eufemismo para cortes de empregos, a liderança da SAP fez questão de enfatizar que esse não é um exercício de redução de custos e que espera que o número de funcionários aumente levemente. A empresa oferecerá aposentadoria antecipada para alguns funcionários e remanejamento de outros. Segundo o CEO Bill McDermott, em entrevista ao Wall Street Journal, 4,4 mil empregos serão afetados.

Falando sobre a chamada dos investidores, o CFO Luka Mucic disse que a reestruturação tem dois objetivos principais: “Um, vamos simplificar ainda mais as nossas estruturas e processos. Dois, garantiremos que a nossa alocação de recursos tenha a combinação certa de habilidades e qualificações para áreas de crescimento. A economia de custos do programa irá impulsionar os investimentos nessas áreas e esperamos sair de 2019 com mais de 100 mil funcionários”, disse ele. A SAP contava com 96,5 mil funcionários em todo o mundo até o final de 2018.

Sobre uma chamada de investidor, McDermott acrescentou: “Quando algumas empresas falam sobre reestruturação, elas estão cansadas de lidar com problemas de número de funcionários. Estamos falando sobre obter as habilidades necessárias em cima das oportunidades de crescimento. O que estamos fazendo é otimizar força de trabalho para realmente aumentar o crescimento da empresa.”

Mesmo caminho dos concorrentes

A SAP não é a única fornecedora que pretende dar passos drásticos para se preparar melhor para a era da nuvem. A Microsoft anunciou em 2017 que cortaria 10% de sua força de trabalho para melhor vender neste modelo.

Em um e-mail vazado e publicado pelo Wall Street Journal na época, o vice-presidente executivo de negócios comerciais da Microsoft, Judson Althoff, destacou como as vendas devem visar as empresas em vez de setores específicos ou segmentos de mercado e melhorar sua “profundidade técnica e alinhar melhor vendas e serviços às áreas de solução”.

A Oracle fez um movimento semelhante em 2017, criando 1 mil vagas de vendas com foco na nuvem em toda a região EMEA. Embora a Oracle tente divulgar suas credenciais em nuvem em público, ela mudou para um método de relatório financeiro que ofusca seu progresso na nuvem, dificultando a comparação de seu progresso com os rivais.

Resultados do quarto trimestre

A SAP fez o anúncio da reestruturação junto aos resultados financeiros do quarto trimestre, que mostraram que as assinaturas globais de nuvem e o crescimento do suporte saltaram de 28% no ano passado para 40% em 2018.

Mucic disse que entrada de novos pedidos aumentou 18% no quarto trimestre, elevando o total para o ano inteiro para mais de US$ 11 bilhões pela primeira vez. “Esse momento estelar de negócios nos coloca perfeitamente para um forte crescimento lucrativo em 2019 e além, enquanto esperamos que o nosso crescimento na nuvem continue a superar nossos pares de nuvem de software de negócios”, apontou o CFO.

Em nível global, a SAP divulgou um crescimento de 32% em subscrições de serviços em cloud e suporte em 2018, com receita total de € 24,7 bilhões (+5%), incluindo também vendas de licença de software, e um lucro operacional de 17%, chegando a € 5,7 bilhões. A empresa atingiu ou superou todas as métricas, mesmo após várias revisões durante o ano. Para 2019 a projeção é chegar a 39% de alta em nuvem e suporte e manter o crescimento geral. A companhia ambiciona chegar a 2023 com uma receita total de mais de € 35 bilhões.

América Latina

O desempenho da SAP na América Latina e Caribe segue puxado pelos serviços em nuvem, com 14 trimestres consecutivos de crescimento e mais um ano fechando com avanço de duplo dígito. Na região os destaques também ficaram com a linha de gestão de terceirizados SAP Fieldglass e a de gerenciamento de viagens e despesas SAP Concur. As linhas SAP SuccessFactors e SAP Customer Experience registraram alta de dois dígitos em relação a 2017.

Fonte: Computer Word