Você sabe qual é a importância da gerência de mudança na área de TI?

 

 

*Ricardo Rodriguez

Eu gosto muito de futebol e apesar da derrota elástica de 7 a 1 do Brasil para a Alemanha (espero que tenha sido a primeira e última vez) no mundial realizado em terras tupiniquins em 2014, eu vibrei com os jogos da equipe comandada pelo competentíssimo Joachim Low. Diferentemente da seleção canarinho que não se preparou adequadamente e pareciam perdidos em campo em alguns jogos, os alemães me chamaram a atenção pelo planejamento feito e pelo fato de que cada um dos jogadores sabia exatamente o que fazer em campo e quais eram suas responsabilidades. Resultado disso? Foram campeões mundiais pela quarta vez.

Do campo para o dia a dia da TI, notamos que se o departamento da tecnologia da informação quiser marcar um gol de placa em suas atividades, é importante que a TI tenha processos bem definidos e que, além disso, possua uma área de GMUD (Gerência de Mudanças). Mas você sabe qual a importância desta área em sua TI?

Assim como o que ocorreu com a equipe alemã, planejamento é a palavra chave. E a GMUD é responsável por realizar o planejamento e a definição dos papeis e responsabilidades dos executores em cada atividade de mudança. Mais especificamente, a GMUD visa garantir que as mudanças realizadas no ambiente de desenvolvimento e produção sejam planejadas, avaliadas, autorizadas, implantadas e revisadas garantindo que a mudança seja finalizada com sucesso, seguindo as melhores práticas ITIL.

A GMUD é uma área interna que faz a interação das áreas envolvidas na execução das atividades, solicitando a aprovação via FSM (Formulário de Solicitação de Mudança) para solicitação de serviços, incidentes ou projetos.

E quais os tipos de mudanças existentes?

• Mudanças Planejadas: Passam pelas etapas de avaliação completa, autorização e implementação. Podem ser classificadas como importantes significativas ou de menor importância, dependendo do nível de custo e risco envolvido. Exemplo: Migrar um aplicativo para outro servidor, por exemplo cloud computing.

• Pré-aprovadas:

Tem baixo risco e segue um procedimento ou instrução de trabalho. Exemplo; recuperar uma senha.

• Mudanças Emergenciais:

É reservada apenas para mudanças altamente críticas que precisam ser implementadas o mais rápido possível. Exemplo: para resolver um incidente grave ou programar um patch de segurança.

Portanto, a gerência de mudança evita “refações”, atrasos e principalmente dor de cabeça para a sua área de TI, garantindo que sua equipe não passará vergonha em campo.

E você? Qual é a sua opinião sobre este assunto?

*Ricardo Rodriguez é Coordenador de Marketing na CorpFlex S/A